São paulo lgbt pride

40 São Paulo LGBT Pride Parade Instagrams You Have to See

This post is also available in: Spanish Portuguese French

Hundreds of thousands of revelers gathered on Sunday to celebrate LGBT pride in São Paulo, Brazil. One of the largest’s pride gatherings in the world, this year’s theme for São Paulo LGBT Pride (Parada do Orgulho LGBT de São Paulo) was, “Whatever our beliefs, no religion is law, all for a secular state!”

The parade’s demands on secularism in Brazil are due to conservative religious lobbyists that threaten LGBT rights from advancing.  “Our main enemies today are religious fundamentalists who seek to withdraw from our already acquired rights,” says Claudia Santos Garcia, director of the association who organizes the parade.

She continues: “In the National Congress, for example, the debate over the criminalization of LGBTFobia is fraught with attacks by congressional and conservative parliamentarians, many of whom use their parliamentary immunities to spread hatred to a portion of the population. Their arguments? Some cite their visions of faith, as if they were in their pulpits and not in an institution that should guarantee and be guided by the laity, as recommended in the Federal Constitution of 88.”

“Our democracy is threatened by the fact that representatives of the three powers are motivated only by religious values, without concern for citizenship, plurality and human rights,” deplores the association of the Parade of the Gay pride of Sao Paulo (APOGLBT) in a statement.

The evangelical parliamentary group in parliament has 197 out of 513 deputies, 23 of them in the Human Rights Commission.

This year’s parade of LGBT Pride of São Paulo counted on two strong sponsors: Skol and Uber .

“We support the LGBT Pride Parade because we stand by the flag of respect above all else. Since the last stop we have consolidated ourselves on this path. Supporting the LGBT Parade is to foster culture by focusing on diversity and promoting, above all, respect for the other. We are very proud to be a part again,” said Maria Fernanda Albuquerque, Skol’s Marketing Director.

“Uber believes that everyone should have the right to be authentic in their individuality, sexual orientation and gender identity, and more than that, feel safe and respected. With that in mind, Uber is the official sponsor of the Sao Paulo LGBT Pride Parade in 2017,” said Ana Pellegrini, Legal Director and Uber Diversity Leader for Brazil.

In 2006, it was considered the biggest pride parade in the world by the Guinness Book of World Records.

Here are 40 fabulous pics from São Paulo LGBT Pride:

Job… #man #paradagay2017 #fotomarcelomagnani #estudiomarcelomagnani #lgbt

A post shared by Marcelo Magnani (@marcelo_magnani.foto) on

💙💚💛❤️#paradagay #photography #streetphotography #lgbt #lgbtpride

A post shared by Nana Curti (@nanacurti) on

Aqui rolou. #gaypride #sp #lovewins #gaylove #paradagay

A post shared by Gui Castro (@guicastrogui) on

Anitta na #ParadaGay em São Paulo no Trio da Uber. 💫🦄🌈❣ #Anitta @anitta 💙💋

A post shared by Anitta 🎤🇧🇷 (@fcfamiliaanitter) on

Look do dia para parada gay, no trio da @skol com @danielamercury 🏳️‍🌈

A post shared by Henrique Lopes (@ricckl) on

Maria Picape #orgulholgbt #paradagay

A post shared by Mario Mendes (@maaario) on

#hornetguy #hornetguys #hornetapp #paradagay

A post shared by HORNET Brasil (@hornetapp_br) on

Com expectativa de reunir 3 milhões de pessoas, a Parada do Orgulho LGBT de São Paulo toma a Avenida Paulista neste domingo, 18, e pede a realização de novas eleições presidenciais. Nós queremos 'diretas já' para ontem", afirma Nelson Matias, sócio fundador da Associação da Parada do Orgulho de Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros de São Paulo (Apoglbt), que há 21 anos organiza o evento. Neste ano, a cantora Anitta foi homenageada e postou uma mensagem nas redes sociais falando sobre a emoção e importância da luta. "Uma honra ser homenageada, coroada e literalmente tratada como rainha hoje na Parada Gay de São Paulo. Sou eternamente grata à todas as alegrias que este público me proporciona na vida. Espero poder sempre usar minha força para levantar a bandeira da liberdade, do respeito e da coragem à todos os cidadãos independente de sua orientação sexual. Ver crianças, famílias e todo tipo de gente se divertindo em massa na paz e na alegria em prol dessa mensagem foi lindo. E a mensagem é essa… Se respeitem, se amem, não se julguem… todos precisam ser incentivados a assumir o que são e não serem punidos de nenhuma forma por isso. Por um mundo sem hipocrisia e consequentemente mais honesto e feliz! Feio é não ter caráter, feio é não ter respeito ao próximo… ser gay não… ser gay é apenas ser humano. Muito obrigada por me proporcionarem tamanha experiência. E quero voltar na próxima pra fazer um show inteiro nesse evento surreal!", contou. Foto: Anitta/Instagram/Reprodução #paradagay #lgbtt #anitta #essepe #saopaulo #gay #gaypride #lgbttq #pop #liberdade #igualdade #equidade #genero

A post shared by Diario de Pernambuco (@diariodepernambuco) on

#SãoPauloPrideParade #ParadaDoOrgulhoLGBT #ParadaGay

A post shared by Luciano Carniel 🎧❤ (@lucarniel) on

#PRIDE

A post shared by Bruno Farias (@obrunofarias) on

São Paulo Gay Pride 2017. Photo by Paulo Ermantino @paulo.ermantino.

A post shared by Everyday Brasil (@everydaybrasil) on

#instagay #gay #gaypride2017 #gaypride #br #raimbow #guys #paradagay

A post shared by Binho Gozzi (@binhogozzi) on

"Gay", "bicha", "bichinha", "bambi", "baitola", "frutinha", "viado", "viadinho", "homossexual", "boiola", "mulherzinha", "sapatão", "lésbica", "Joãozinho", "mulher macho", "afeminado", "desmunhecado", "sapa", "caminhoneira", "sanchona", "cola velcro", "zé buceta", "traveco", "boneca", "barbie" e muitos outros. NÃO nos ofenderemos com nenhum desses rótulos idiotas, com objetivo de desqualificar, diminuir ou ofender seres humanos que saem do "padrão branco-macho-hetero-cis normativo" estabelecido por uma sociedade oprimida E opressora. Nós temos ORGULHO de ser quem somos. E dizemos: não tenha medo de ser quem você é. Nunca se esconda! SEJAM FELIZES. Nada paga a LIBERDADE. A DIVERSIDADE é LINDA. o/ #paradagay #paradalgbt #lgbt #gaypride #pride #diversidade #orgulho #maisamorporfavor #espalheamor #naosouobrigado #lgbttqa #lgbtnaoéfetiche #negronaoéfetiche #nenhumareligiãoélei #estadolaico #liberdade #freedom #beproud #love

A post shared by Adan Conceição (@adanwp) on

Diversidade sempre ❤🌈 #paradagay #pride #sp #diversity #love #orgulholgbt

A post shared by MAX MARION (@maxmarionmua) on

Less churches… More schools, science, art, culture, RESPECT… MORE LOVE! #PARADAGAYSP #PARADAGAY

A post shared by Jorge Leite (@icyblood33) on

ORGULHO 🏳️‍🌈

A post shared by Pedro Calderaro (@pecalderaro) on

Pequena grande Pipoca LGBT que a gente mais respeita #21paradalgbt #queer

A post shared by Priscila Pagliuso (@preellow) on

Eu amo te amar ❤️🏳️‍🌈 #paradalgbt #SãoPaulo #2017 #respeito

A post shared by 07/04 – Otavio Pichirillo 🤙🏽 (@otaviogomes_) on

#🌈 / aos 6 cheguei em casa chorando por ter apanhado na escola. minha mãe me ensinou a lutar. "mesmo se não tiver força, faz o que der. puxe o cabelo, morda o braço. mas se voltar pra casa chorando de novo vai apanhar de novo de mim". assim aprendi a ter coragem. aos 15 eu morria de vergonha de mim. de ter a voz fina, de ser o mais feio da sala, de ser o esquisito que tinha uma mecha de cabelo branco, de não entender o porque eu não sentia atração pelas meninas. aos 20 me apaixonei pela primeira vez e não me deixei viver aquilo. aos 21 contaram aos meus pais que sou gay. vi minha mãe ficar um ano com o braço paralisado em depressão após saber aquilo. me culpei todos os dias sabendo que ela estava assim por minha causa. ela me perguntou porque eu escolhi um caminho tão difícil. "eu não escolhi". aos 22 dei meu primeiro beijo. aos 24, fui pra uma praça, me deitei na grama e tomei todos os remédios que encontrei pra tentar encontrar paz. felizmente acordei no hospital, chorando por ter sido tão fraco: "mesmo se não tiver força, faz o que der". aos 26 andei de mãos dadas na rua com um namorado pela primeira vez. aos 28 uma editora disse que só publicaria o cartas amarelas se eu retirasse qualquer conteúdo gay do livro. aos 29, o publiquei sem editora, na íntegra. aos 30 uma empresa se recusou a trabalhar comigo porque não queria associar sua imagem com a de um gay assumido. aos 31 continuo lutando pelo simples fato de poder existir. é sempre tempo de tentar enxergar o mundo com os olhos do entendimento. e também com os olhos do coração. continuo lutando do jeito que posso: com minhas palavras, com meus doces, com meu sorriso, com a leveza de quem nunca mais quer carregar a culpa do mundo nas costas. hoje sou forte o bastante pra constatar que não dei conta de algumas coisas. e é agora que a minha força vai vir ainda mais latente. porque encontrei a força mais bonita: a que se parece fraca mesmo quando, na verdade, é a maior de todas. essa força e a leveza de quem hoje sabe que a vida de cada um vale muito mais do que a gente imagina e, por isso, essa mesma vida merece ter o maior coração do mundo. [repostando esse texto pra sempre me lembrar] 📷: @fabiolamounier

A post shared by gui poulain (@gpoulain) on

Vem pra #ParadaSP!!! O trio #DivinasDivas tá um lacre de gente incriveland. #ParadaLGBT

A post shared by Leandra Leal (@leandraleal) on

LOVE & PRIDE 💖❤️💛💚💙💜 #pride2017 #orgulholgbt #paradalgbt #lovewins

A post shared by samuel profeta (@samprofeta) on

Amar é um ato político: então ame! #ParadaLGBT #OrgulhoLGBT #AmeSemTemer #AmarSemTemer #Pride

A post shared by Dhyogo (@dhyogoo) on

sp 🌈🖤

A post shared by Thelma Penteado (@thelma.penteado) on

Mais beijos #fotomarcelomagnani #estudiomarcelomagnani #avenidapaulista #paradagay2017 #lgbt #love #kiss

A post shared by Marcelo Magnani (@marcelo_magnani.foto) on